27 DE JUNHO: DIA NACIONAL DO VOLEIBOL

Rexona-Ades vence Camponesa/Minas e está na decisão

10 Abr 2015

Pela 11ª vez consecutiva, o Rexona-Ades (RJ) está na final da Superliga feminina de vôlei. Nesta quinta-feira (09.04), a equipe carioca, atual campeã, venceu a Camponesa/Minas (MG) por 3 sets a 0 (25/17, 25/18 e 25/21), em 1h41 de jogo, no ginásio do Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ). Com o resultado, o time da casa fechou a série melhor de três com duas vitórias.

O adversário das cariocas na grande decisão sairá do confronto entre o Molico/Nestlé (SP) e o Sesi-SP. No momento, a vantagem é da equipe de Osasco, que venceu o primeiro jogo da série por 3 sets a 2.

A ponteira/oposto Natália, do Rexona-Ades, foi a maior pontuadora do confronto, com 18 acertos. A central Juciely e a ponteira Régis, com 12, também pontuaram bem para o time carioca. Pelas mineiras, a ponteira Jaqueline foi quem mais marcou, com nove pontos.

A levantadora Fofão, em seu penúltimo jogo em território nacional, foi eleita a melhor da partida e ficou com o Troféu VivaVôlei. A jogadora comentou sobre a expectativa para a decisão da Superliga, que será sua despedida das quadras no Brasil. 

“Ainda não tinha pensado nisso. O meu objetivo era estar na final. Agora, começa a vir o frio na barriga. Quero jogar alegre e feliz na partida que será a minha despedida. Será um dia muito especial e acredito que vamos jogar tudo o que sabemos. Para mim será muito importante ajudar o time e fazer uma boa final”, disse Fofão. 

A líbero Fabi, do Rexona-Ades, falou sobre a importância do resultado e do momento atual da equipe carioca. 

“Essa é a 11ª final consecutiva da nossa equipe, um número incrível. Também estou muito feliz de estar vivendo esse momento especial que é a despedida da Fofão das quadras. Cada Superliga está mais difícil e nós conseguimos nos manter entre os melhores. Parabéns a comissão técnica e as meninas por mais uma final de Superliga”, festejou Fabi.

Pelo lado da Camponesa/Minas, a central Walewska lamentou a derrota, mas fez questão de ressaltar a boa campanha das mineiras na competição.

“Essa Superliga foi muito difícil no início, mas conseguimos formar um grupo muito bacana e acho que superamos as expectativas. Ficar entre os quatro primeiros da maneira que a nossa equipe foi formada é uma grande vitória. Temos que nos orgulhar disso”, analisou Walewska.

O JOGO

Com um contra-ataque da oposto Carla, a Camponesa/Minas fez o primeiro ponto do jogo. Bem no saque e se aproveitando dos erros das mineiras, o Rexona-Ades abriu três (6/3). O técnico Marco Queiroga pediu tempo. A central Carol conseguiu dois aces e a diferença no placar subiu para seis (13/7). O bloqueio das donas da casa era eficiente e o Rexona-Ades fez 16/10. O treinador Marco Queiroga fez três substituições. Entraram Camila, Lia e Jú Nogueira e saíram Naiane, Carla e Mari Paraíba. As substituições fizeram bem ao time mineiro, mas as donas da casa seguraram a vantagem e venceram o primeiro set por 25/17, com um ace da central Carol.

A segunda parcial começou equilibrada. Com um ponto de contra-ataque da atacante Natália, o time da casa abriu dois (6/4). O time carioca foi para o primeiro tempo técnico com um de vantagem (8/7). O set ficou equilibrado, com as duas equipes se alternando na liderança do marcador. A Camponesa/Minas tinha um de vantagem na segunda parada técnica (16/15). Novamente numa boa sequência de saques da central Carol, o Rexona-Ades abriu quatro (20/16). O treinador Marco Queiroga pediu tempo. Mesmo com a paralisação, as donas da casa seguiram melhores e fecharam a segunda parcial por 25/18.

A Camponesa/Minas voltou melhor para o terceiro set e fez 3/0. Bem no bloqueio, o Rexona-Ades encostou (4/3). Na sequência, a ponteira Régis conseguiu um ace e deixou tudo igual (4/4). O saque das cariocas dificultava a recepção das mineiras e o time da casa fez 8/5. As visitantes cresceram de produção e deixaram tudo igual (9/9). Com um ponto de bloqueio da ponteira Jaqueline, as mineiras abriram dois (12/10). Na segunda parada técnica a vantagem da Camponesa/Minas era de um ponto (16/15). O final da parcial foi disputado ponto a ponto. O Rexona-Ades foi melhor na parte final do set e venceu a parcial por 25/21 e o jogo por 3 sets a 0.

EQUIPES

REXONA-ADES – Fofão, Natália, Régis, Gabi, Juciely e Carol. Líbero – Fabi
Entraram – Amanda, Roberta e Bruna
Técnico – Bernardinho

CAMPONESA/MINAS – Naiane, Carla, Jaqueline, Mari Paraíba, Carol Gattaz e Walewska. Líbero – Tika
Entraram – Camila, Lia, Val e Jú Nogueira
Técnico – Marco Queiroga

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Parceiros Oficiais