• grande fase Alison e Bruno vencem quinto título seguido e ficam perto de igualar recorde

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 30.08.2015 Desde a disputa do Campeonato Mundial 2015, realizado na Holanda, uma dupla domina o cenário internacional do vôlei de praia masculino. Na manhã deste domingo (30.08), Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) deram mais uma prova disso e conquistaram a medalha de ouro do Grand Slam de Olsztyn, na Polônia. O quinto título seguido veio após a vitória sobre Jake Gibb e Casey Patterson, dos Estados Unidos, por 2 sets a 0 (21/10 e 21/15), em 34 minutos. O ouro na Polônia deixa a dupla com chances de igualar um importante recorde de vitórias consecutivas em etapas do Circuito Mundial. A marca pertence aos também brasileiros Emanuel e Loiola. Na temporada 1999 eles foram campeões das etapas da Noruega, Itália, França, Áustria, Portugal e Bélgica em sequência, estabelecendo série que até hoje não foi alcançada por nenhum outro time. Antes do triunfo nas areias polonesas, Alison e Bruno já tinham subido ao lugar mais alto do pódio no Campeonato Mundial da Holanda, no Major Series de Gstaad (Suíça), e ainda nos Grand Slams de Yokohama (Japão) e Long Beach (Estados Unidos) - além de terem conquistado o direito de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Caso vençam o Rio Open, na próxima semana, igualam Emanuel/Loiola. Este é o sexto título da dupla em etapas internacionais - além das cinco conquistas de 2015, eles também haviam vencido a etapa de Klagenfurt em 2014. Em toda carreira, Alison soma agora 17 medalhas de ouro no Circuito Mundial, enquanto Bruno Schmidt já subiu ao lugar mais alto do pódio em oito oportunidades. A vitória rende uma premiação de 57 mil dólares aos campeões, que também somam 800 pontos no ranking da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) e na corrida olímpica brasileira, onde já não poderão mais ser alcançados por nenhum time. "Desde o Campeonato Mundial da Holanda nosso jogo vem fluindo bem, tiramos muita coisa das costas, muita pressão. E pensando ponto a ponto, jogo a jogo, as coisas estão acontecendo. O time nos ajudou muito nesse processo, mas não esperava vencer cinco torneios consecutivos. É muito bom e mostra que estamos no caminho certo, e devemos continuar assim", comemorou Bruno Schmidt. "O Bruno foi perfeito não apenas nesse jogo, mas durante todo o torneio. Ele foi muito bem no saque, na defesa, ajudou muito nosso time. Acho que no momento ele é o melhor atleta do mundo. Conquistamos cinco medalhas de ouro consecutivas, o é perfeito. Nosso time está a cada dia mais fortalecido, e que venha a etapa do Rio de Janeiro", enalteceu Alison. O JogoPara alcançar a decisão, Alison e Bruno Schmidt fizeram uma partida de recuperação pela semifinal diante dos canadenses Chaim Schalk e Ben Saxton, que haviam eliminado Ricardo e Emanuel ainda pela fase de oitavas de final. O capixaba e o brasiliense venceram por 2 sets a 1 (19/21, 21/19 e 15/9), em 48 minutos. Horas depois, a dupla retornou à quadra central para encarar os norte-americanos Jake Gibb e Casey Patterson - que nunca venceram os rivais os brasileiros nos quatro confrontos anteriores entre os times. A partida foi mais uma final entre Brasil x EUA, assim como na etapa anterior, no Grand Slam de Long Beach, quando os brasileiros venceram Dalhausser e Lucena. E os campeões mundiais apresentaram para o público polonês o alto nível de voleibol que os credenciou a representar o Brasil nas Olimpíadas do Rio, ano que vem. A parceria conseguiu duas quebras logo no início do jogo, com Bruno Schmidt, e fez 5/2. Bem na partida, Alison e Bruno Schmidt não demoraram para impor seu ritmo de jogo e ampliar a vantagem para 12/5, após o capixaba se agigantar na rede. Os norte-americanos buscaram a reação, mas Bruno Schmidt deu a resposta na medida para levar o Brasil em vantagem para o tempo técnico, com 13/8. O "Mamute" seguiu sendo implacável na rede, e anotou vários blocks consecutivos para encaminhar a vitória no primeiro set, fechado também no fundamento, com 21/10. Diferentemente do primeiro, o segundo set começou favorável aos norte-americanos, que abriram 4/1. Ao natural, os brasileiros igualaram as ações e empataram o jogo e viraram em 12/11, após grande rally e largada com estilo de Alison. Era o que faltava para a dupla deslanchar no placar. Em uma das várias defesas salvadoras de Bruno Schmidt, Alison anotou o ponto do jogo e fechou o set em 21/15. A próxima parada é o Open do Rio de Janeiro, de 2 a 6 de setembro, na Praia de Copacabana. O torneio terá entrada franca à torcida na arena montada na altura da avenida Princesa Isabel. Em 2015, o calendário do Circuito Mundial prevê cinco Grand Slams, três Major Series, dez Opens, o Campeonato Mundial e o World Tour Finals, que reunirá apenas os oito melhores times da temporada de cada gênero. Cada torneio possui pontuação e premiação distintas, mas serão distribuídos ao todo mais de 9,6 milhões de dólares. BRASIL NO CIRCUITO MUNDIAL 2015: Open de PragaÁgatha/Bárbara Seixas - ouro Duda/Elize Maia - bronze Grand Slam de MoscouLarissa/Talita - ouro Evandro/Pedro Solberg - prata Major Series de PorecLarissa/Talita - ouro Major Series de StavangerEvandro/Pedro Solberg - ouro Juliana/Maria Elisa - ouro Ágatha/Bárbara Seixas - prata Grand Slam de São PetersburgoÁgatha/Bárbara Seixas - ouroJuliana/Maria Elisa - prataFernanda Berti/Taiana - bronze Campeonato Mundial da HolandaÁgatha/Bárbara Seixas - ouroAlison/Bruno Schmidt - ouroFernanda Berti/Taiana - prataJuliana/Maria Elisa - bronzeEvandro/Pedro Solberg - bronze Major Series de GstaadLarissa/Talita - ouroAlison/Bruno Schmidt - ouroFernanda Berti/Taiana - prata Grand Slam de YokohamaAlison/Bruno Schmidt - ouroÁgatha/Bárbara Seixas - prata Grand Slam de Long BeachAlison/Bruno Schmidt - ouroLarissa/Talita - ouro Grand Slam de OlsztynAlison/Bruno Schmidt - ouroLarissa/Talita - ouro VEJA A GALERIA DE FOTOS VEJA OS RESULTADOS DO DIA O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro. Read More
    Circuito Mundial
  • É campeão De virada, Brasil vence a Holanda e conquista a Copa Rio Internacional de Voleibol Feminino

    A seleção brasileira feminina de vôlei é campeã invicta da Copa Rio Internacional de Voleibol Feminino. Neste domingo (30.08), o Brasil venceu, de virada, a Holanda por 3 sets a 2 (23/25, 22/25, 25/22, 25/18 e 15/10), em 2h05 de jogo, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. As holandesas ficaram com a medalha de prata e a Bulgária, que neste domingo venceu a Alemanha por 3 sets a 2 (22/25, 25/20, 25/20, 20/25 e 15/13), terminou com a terceira colocação. A ponteira Gabi foi maior pontuadora entre as brasileiras, com 18 acertos. As centrais Carol, com 17 pontos (sendo seis de bloqueio), e Adenízia, com 14, e as atacantes Natália, com 13, e Monique, com 10, também pontuaram bem pelas brasileiras. O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da vitória das brasileiras sobre as holandesas. “A entrada da Sheilla foi importante no quarto set. Ela ajudou a equilibrar o time. Foi um bom teste. Vimos que precisamos melhorar o saque, o bloqueio e a defesa, que são fundamentos que fazem a diferença nas partidas. No primeiro e no segundo sets eles não funcionaram e sofremos em quadra. A partir do terceiro, nosso saque funcionou e o volume de jogo apareceu. Essa é a tônica para o nosso sistema de jogo. Quando começamos a usar as centrais nos contra-ataques, a nossa transição de jogo melhorou e passamos a levar vantagem”, explicou José Roberto Guimarães, que ainda comentou sobre a importância da Copa Rio Internacional de Voleibol. “O meu sentimento hoje dentro da quadra era como se eu tivesse jogando um Mundial ou os Jogos Olímpicos. Foi muito legal a participação da torcida e o fato de jogar no Maracanãzinho contra equipes de qualidade do cenário mundial que podem estar presentes nos Jogos Olímpicos, como a Holanda”, explicou José Roberto Guimarães. A oposto Sheilla, que entrou em quadra no quarto set e foi determinante para a vitória do Brasil, elogiou a postura do grupo durante toda a partida. “Foi uma boa vitória e o grupo está de parabéns pela atitude em quadra. Sabemos que ainda precisamos evoluir e estamos trabalhando forte para isso. Minha apresentação à seleção foi há pouco tempo e estou recuperando a minha melhor forma aos poucos. Estamos no caminho certo”, apostou Sheilla. O JOGOO set começou disputado ponto a ponto. Com um bom volume de jogo, o Brasil abriu dois pontos (7/5). A ponteira Gabi conseguiu um belo ataque pelo fundo e o time da casa fez 10/8. Na sequência a central Carol fez um ace e o Brasil abriu três pontos (12/9). Bem no saque, a Holanda cresceu de produção e empatou (14/14). Com um ace da central Adenízia, o Brasil voltou a abrir no marcador (16/14). O final da parcial foi disputado ponto a ponto. A Holanda aproveitou bem os contra-ataques e abriu dois pontos (20/18). O treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. A Holanda foi melhor na parte final da parcial e venceu o primeiro set por 25/23.A segunda parcial começou disputada ponto a ponto. Na primeira parada técnica, o Brasil tinha um de vantagem (8/7). Aproveitando-se dos erros do Brasil, a Holanda abriu dois pontos (12/10) e o treinador José Roberto Guimarães pediu tempo. Bem no saque e no bloqueio, as holandesas abriram oito pontos (19/11). O Brasil cresceu de produção no final da parcial, mas as holandesas seguraram melhores até o final e venceram o segundo set por 25/22. O Brasil voltou melhor para o terceiro set e fez 5/2. Com um ace da ponteira Gabi, o time da casa abriu três pontos (7/4). A levantadora Dani Lins passou a jogar com velocidade e o time verde e amarelo fez 11/7. As brasileiras foram para o segundo tempo técnico vencendo por 16/12. A levantadora Roberta entrou na partida para sacar e fez um ace (19/13). A Holanda cresceu de produção e encostou no marcador (22/20). O Brasil segurou a vantagem até o final da parcial e venceu o terceiro set por 25/22. A quarta parcial começou equilibrada. Bem no contra-ataque, a Holanda abriu dois pontos (5/3). Numa bola de segunda da levantadora Dani Lins, o Brasil encostou no marcador (10/8). Neste momento, o treinador José Roberto Guimarães trocou as opostos. Entrou Sheilla e saiu Monique. A substituição fez bem ao Brasil que deixou tudo igual no marcador (11/11). E foi numa boa sequência de saques da oposto Sheilla que o Brasil virou o marcador (15/13). A ponteira Gabi conseguiu um ace e a diferença no marcador subiu para quatro pontos (18/14). O bloqueio das brasileiras funcionava e o Brasil fechou o quarto set por 25/18. O tie-break começou com as duas equipes se alternando na liderança. Com um ace da oposto Sheilla, o Brasil abriu dois pontos (5/3). Depois de um longo rally, o Brasil abriu três pontos (9/6). O Brasil segurou a vantagem até o final e venceu o set por 15/10 e o jogo por 3 sets a 2. BRASIL – Dani Lins, Monique, Gabi, Natália, Adenízia e Carol. Líbero – Camila Brait Entraram: Mari Paraíba, Sheilla, Macris, Léia Técnico – José Roberto Guimarães TABELA DE JOGOS:Data: 28/08/2015 (SEXTA-FEIRA):Bulgária 3 x 2 Holanda (25/14, 25/22, 18/25, 23/25 e 15/9) Brasil 3 x 0 Alemanha (25/20, 25/18 e 25/15) Data: 29/08/2015 (SÁBADO) Brasil 3 x 0 Bulgária (25/20, 25/21 e 26/24) Holanda 3 x 1 Alemanha (25/15, 25/18, 21/25 e 25/23) Data: 30/08/2015 (DOMINGO) Bulgária 3 x 2 Alemanha (22/25, 25/20, 25/20, 20/25 e 15/13)Brasil 3 x 2 Holanda (23/25, 22/25, 25/22, 25/18 e 15/10), CLASSIFICAÇÃO FINAL: 1) Brasil 2) Holanda 3) Bulgária 4) Alemanha GALERIA DE FOTOS:http://2015.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/22549-maracanazinho-rio-de-janeiro-30-08-2015-brasil-x-holanda O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro Read More
    Galeria de Fotos
  • Campeões Gabarito/UNIPAC/FUTEL bate o time da casa e leva o título em Maceió

    O Gabarito/UNIPAC/FUTEL, de Uberlândia (MG), é o campeão da Liga Nacional Sub-23 2015. Neste domingo (30.08) o time mineiro venceu o CRB (AL) por 3 sets a 0 (25/17, 25/11 e 25/16), em 1h15 de jogo no ginásio FAV/V2, em Maceió (AL). Além de chegar no lugar mais alto do pódio a equipe de Minas Gerais ainda assegurou vaga na Superliga B 2016. No jogo a torcida local colocou pressão o tempo todo, mas o time do Gabarito/UNIPAC/FUTEL manteve a tranquilidade o tempo todo. Do outro lado, o time alagoano, formado majoritariamente por atletas de categoria infanto-juvenil, sentiu o nervosismo da decisão e exagerou na quantidade de erros. Ao fim da partida o treinador da equipe mineira, Manoel Honorato, destacou a frieza do grupo na hora de decidir. “Conseguimos alcançar nosso objetivo. O fator determinante foi a nossa tranquilidade. Estudamos bastante nosso adversário, mas sabíamos que teríamos a torcida contra como uma das armas, e soubemos manter o equilíbrio emocional”, contou Honorato. O levantador Heitor, capitão do Gabarito/UNIPAC/FUTEL, fez coro com o treinador, ao comentar sobre a atitude dos companheiros dentro de quadra na final. “Este foi um campeonato difícil. Eu acreditava muito neste time. Tivemos sempre paciência na virada de bola. Sabíamos que a torcida local apoiaria o CRB e que teríamos que suportar a pressão. Mas conseguimos manter a tranquilidade ao longo da partida e chegamos ao título”, disse Heitor. Antes da grande decisão, o P M Castro (PR) conquistou a medalha de bronze ao derrotar, de virada, o Vitória/FSBA (BA) por 3 sets a 1 (24/26, 25/14, 25/14 e 25/19), em 1h57 de disputa. Apesar do revés no primeiro set o time paranaense voltou para a segunda parcial mais concentrado e com um bom volume de jogo dominou as ações no restante da partida. GALERIA DE FOTOS http://liganacional.cbv.com.br/index.php/fotos/item/65-maceio-al-30-08-15-liga-nacional-masculina CLASSIFICAÇÃO FINAL 1º GABARITO/UNIPAC/FUTEL (MG) 2º CRB (AL) 3º P M CASTRO (PR) 4º VITÓRIA/FSBA (BA) 5º AA NILTON LINS (AM) 6º MONTECRISTO (GO) TORNEIO MASCULINO CHAVE A : CRB (AL) – AA Nilton Lins (AM) – P M Castro (PR) CHAVE B: Montecristo (GO) – Gabarito/UNIPAC/FUTEL (MG) – Vitória/FSBA (BA) 1ª RODADA 26.08 (QUARTA-FEIRA) 16h – AA Nilton Lins (AM) 1x3 P M Castro (PR) (20/25, 26/24, 17/25 e 24/26) 20h – Vitória/FSBA (BA) 3x1 Montecristo (GO) (22/25, 25/21, 25/19 e 25/16) 2ª RODADA 27.08 (QUINTA-FEIRA) 16h – Gabarito/UNIPAC/FUTEL (MG) 3x0 Vitória/FSBA (BA) (25/15, 25/13 e 25/15) 20h – CRB (AL) 3x2 AA Nilton Lins (AM) (25/21, 25/20, 20/25, 16/25 e 15/11) 3ª RODADA 28.08 (SEXTA-FEIRA) 16h – Gabarito/UNIPAC/FUTEL (MG) 3x0 Montecristo (GO) (25/17, 25/17 e 25/20) 20h – CRB (AL) 3x0 P M Castro (PR) (25/20, 25/21 e 25/21) 4ª RODADA 29.08 (SÁBADO) 16h – Semifinal 1 – Gabarito/UNIPAC/FUTEL (GO) 3x1 P M Castro (PR) (29/31, 25/19, 27/25 e 25/21) 20h – Semifinal 2 - CRB (AL) 3x1 Vitória/FSBA (BA) (22/25, 25/23, 27/25 e 25/22) 5ª RODADA 30.08 (DOMINGO) 9h – Disputa do Bronze – P M Castro (PR) 3x1 Vitória/FSBA (BA) (24/26, 25/14, 25/14 e 25/19) 11h – Final – Gabarito/UNIPAC/FUTEL 3x0 CRB (AL) (25/17, 25/11 e 25/16) Read More
    Quadra
  • torcida animada Crianças de quatro núcleos do VivaVôlei acompanham Copa Rio Internacional

    A torcida brasileira contou com um animado reforço neste domingo (30.08), na Copa Rio Internacional, realizada no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ). Cerca de 200 crianças de quatro núcleos do projeto VivaVôlei compareceram para assistir ao duelo entre Bulgária e Alemanha, e principalmente para acompanharem as estrelas da casa, na disputa entre a seleção feminina brasileira contra a Holanda. Alunos dos núcleos de Rio das Pedras, São João de Meriti, Vicente de Carvalho e Belford Roxo, todos do Rio de Janeiro, puderam torcer e vibrar com as comandadas do técnico José Roberto Guimarães. Os alunos ganharam brindes, o uniforme oficial do projeto e lancharam no ginásio do Maracanãzinho, assistidos por professores e coordenadores do VivaVôlei. A experiência, para quem está lado a lado dos jovens, foi extremamente enriquecedora. “Eles estão criando um laço com o esporte, é fantástico vivenciarem essa experiência em jogos de alto nível. Isso cria ídolos, eles vão reconhecendo e identificando as jogadoras, se apaixonam pela nossa seleção e vão compartilhar essa sensação com a família. O projeto está crescendo, criando o que chamamos de fidelidade. Eventos como esse só acrescentam o elo com o esporte”, destacou Walmyr Lima, professor do núcleo de Rio das Pedras. Recentemente, alunos do VivaVôlei estiveram presentes em diversas partidas e ações do voleibol brasileiro. Além de visitarem o Centro de Desenvolvimento do Voleibol (CDV) em Saquarema, eles também foram às finais das Superligas Masculina e Feminina, partidas da Liga Mundial 2015 e torneios de vôlei de praia, como a etapa Challenger realizada em Campo Grande (MS). O contato com os ídolos aumenta ainda mais o interesse dos alunos ao projeto. “Quero ver a Gabi jogando, sou fã dela e me espelho para que um dia possa também jogar voleibol. É muito legal poder acompanhar de perto a seleção, torcemos pela seleção, mas ver de perto e ter a chance de tirar uma foto e pedir um autógrafo é emocionante”, disse Daniela Souza, aluna do núcleo de Rio das Pedras. Programação de inclusão esportiva e social, o VivaVôlei oferece aulas de ‘mini-vôlei’ às crianças. Toda estrutura - tamanho da quadra, redes, bola etc - é adaptada para a faixa etária de 7 a 14 anos, a fim de otimizar as condições físicas e motoras e a capacidade técnica das crianças. As atividades têm duração de 60 minutos, em turmas com até 24 alunos, onde meninos e meninas compartilham o mesmo espaço.   Criado em 1999, o Instituto VivaVôlei, qualificado como OSCIP-Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, tem como objetivo utilizar o esporte para sociabilizar crianças de 7 a 14 anos. Atualmente, existem 77 núcleos ativos espalhados por 18 estados brasileiros. As escolas atendidas apresentam, como diferencial, o fato de serem as únicas devidamente aparelhadas para o ensino do mini-vôlei ao público infantil no Brasil. Read More
    VivaVôlei
  • boa vitória Brasil vence a Coréia do Sul e disputa o quinto lugar com a Argentina

    A seleção brasileira sub-23 masculina garantiu um lugar na disputa pelo quinto lugar do Mundial da categoria. Neste domingo (30.08), o Brasil venceu a Coréia do Sul por 3 sets a 0 (25/20, 25/15 e 25/22), em 1h13 de jogo, em Dubai, nos Emirados Árabes. O adversário do time verde e amarelo na disputa pela quinta colocação será a Argentina, que também neste domingo superou o Irã por 3 sets a 1 (25/17, 17/25, 25/23 e 25/21). O Brasil duelará com a Argentina às 7h30 (Horário de Brasília) desta segunda-feira (31.08) no encerramento do Mundial. O atacante Kadu foi o destaque da partida e terminou o confronto como o maior pontuador, com 14 acertos. Os centrais Aracaju e Flávio e o ponteiro João, com nove pontos cada, também pontuaram bem para o time verde e amarelo. O treinador Rubinho elogiou a postura dos brasileiros no duelo contra a Coréia do Sul e garantiu que o Brasil está pronto para o confronto com a Argentina pelo quinto lugar. “Nós fizemos uma boa partida mesmo com alguns erros de recepção e saque, especialmente no terceiro set. Vamos lutar muito para conseguir o quinto lugar. A Argentina é um time muito bem organizado e talentoso. Estamos prontos para a partida de amanhã", disse Rubinho. O levantador Thiaguinho comentou sobre o confronto contra a Coréia do Sul e o duelo pelo quinto lugar. “Foi um bom jogo. Nós jogamos muito bem nos dois primeiros sets e no terceiro tivemos um pouco mais de dificuldade. Vamos lutar para buscar o quinto lugar contra a Argentina”, garantiu Thiaguinho O Brasil começou a partida com o levantador Thiaguinho, o oposto Alan, os ponteiros Kadu e Douglas, os centrais Aracaju e Flávio, além do líbero Rogerinho. Entraram durante o jogo o levantador Fernando, o oposto Wagner e o ponteiro João. O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro Read More
    Quadra
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1
  • 1

Seleção Masculina

Vôlei Praia

Seleção Feminina

Vôlei Quadra