• perto do pódio Alison/Bruno e Pedro/Evandro avançam às semis e garantem medalha ao Brasil

    O Brasil conseguiu importantes vitórias e garantiu ao menos uma medalha no torneio masculino do Campeonato Mundial de vôlei de praia, na Holanda. Assim como em 2013, duas duplas do país avançaram às semifinais do torneio: Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) e Pedro Solberg/Evandro (RJ) venceram suas partidas nesta quinta-feira (02.07), pelas oitavas e quartas de final, avançando entre os quatro melhores. E diferente da última edição, desta vez os times se enfrentam apenas na disputa de medalhas. As semifinais ocorrem no sábado (04.07), com transmissão ao vivo do canal SporTV. A final e a disputa de bronze serão no domingo (05.07), também exibidas ao vivo. Ricardo e Emanuel (BA/PR), que vinham invictos, perderão nas oitavas de final e deixaram o torneio. Assim como Álvaro Filho/Vitor Felipe (PB), derrotados nas quartas de final.A primeira semifinal será entre Pedro Solberg/Evandro (RJ) contra os donos da casa, os holandeses Reinder Nummerdor e Christiaan Varenhorst. O jogo é uma repetição das quartas de final do Major de Stavanger (Noruega), quando os brasileiros levaram a melhor no único encontro entre eles. A partida ocorre em Haia, às 7h (de Brasília). Uma hora depois, também em Haia, Alison/Bruno Schmidt (ES/DF) encara os norte-americanos Theo Brunner e Nick Lucena, no primeiro encontro entre os dois times.Para avançar à semifinal, os dois times brasileiros venceram dois jogos, pelas oitavas e quartas de final. Na cidade-sede de Apeldoorn, Alison e Bruno Schmidt (ES/DF) encararam Isaac Kapa e Christopher McHugh, da Austrália, pelas oitavas. O confronto começou equilibrado, com ambos os times confirmando seus serviços. Com McHugh levando a melhor na rede, os rivais conseguiram abrir 11/7, mas não sustentaram a ponta. Em reação iniciada pelo brasiliense, que serviu levantamentos precisos e pontuou no saque. Mamute, gigante no bloqueio, ajudou e a parceria virou o set para 16/12 e foi para a segunda etapa em vantagem (21/15). Os australianos passaram a errar mais no segundo set, e o Brasil aproveitou para seguir com o controle das ações e 7/4 no placar. O time rival tentou voltar para o jogo explorando os corredores, mas Alison e Bruno Schmidt mantiveram a tranquilidade para fechar o set em 21/17.Já pelas quartas de final, Alison e Bruno Schmidt tiveram pela frente Jake Gibb e Casey Patterson, campeões do Grand Slam de São Petersburgo, na última semana. Os brasileiros abriram 2/0 logo nos minutos iniciais, com dois erros consecutivos dos norte-americanos. Antes dos 10 pontos, Alison conquistaria dois pontos de bloqueio e a vantagem subiria para 10/5. A dupla seguiu mandando no primeiro set, e após ace de Bruno Schmidt o placar já registrava 15/6.Os rivais buscaram explorar a rede brasileira no início do segundo set, mas com o placar de 5/2 acumularam mais erros que acertos. Quando acertaram a mão, levaram perigo ao time verde e amarelo, virando o placar para 9/8. Alison e Bruno Schmidt não deixaram os norte-americanos crescerem no jogo e retomaram a ponta nos lances seguintes, para não largar mais: o brasiliense foi à rede para fechar o set em 21/17 e o jogo em 2 sets a 0."O jogo pareceu fácil para quem estava vendo, mas para nós foi uma partida muito complicada. Esse é o time um dos Estados Unidos atualmente, eles acabaram de ganhar uma etapa do Circuito Mundial, merecem muito respeito e por isso entramos com muita atenção no jogo. Tivemos calma e muita força de vontade para chegar a mais uma semifinal de Copa do Mundo. Nosso time está crescendo muito, e só temos a agradecer todos que nos apoiam em todos os momentos", disse Alison."Adoro jogar em Haia, já ganhei uma etapa lá, mas o mais importante de tudo é que estamos focados. Vamos para essa semifinal com muita força, concentração, unidos e acima de tudo com muita motivação", completou Bruno Schmidt.Em Roterdã, Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB) fizeram um dos jogos mais equilibrados da fase de oitavas de final do Campeonato Mundial. Com ambos os times virando boas bolas e confirmando a maioria de seus serviços, os mexicanos Lombardo Ontiveros e Juan Virgen se mantiveram em vantagem mínima na frente. Só que na hora decisiva, em 19/19, Vitor Felipe anotou dois pontos consecutivos e fechou o primeiro set em 21/19. A segunda etapa foi igualmente disputada, mas no fim da etapa foi a vez dos rivais levaram a melhor, com 21/19 e forçando a disputa do terceiro set. No tie-break os times se alternaram na ponta até o momento de definição do jogo, quando os paraibanos conquistaram uma série de match points, fechando o jogo em 20/18. Sem dificuldades, a parceria fechou o primeiro set em 21/12.Pedro Solberg e Evandro (RJ) foram os últimos a garantir vaga às quartas, e não tiveram vida fácil diante dos cubanos Sergio Gonzalez e Nivaldo Diaz. Os adversários começaram pressionando a dupla brasileira, e abriram vantagem de 9/5, após bloqueio de Gonzalez. Os cariocas conseguiram manter a tranquilidade necessária para desenvolver seu estilo de jogo e reagiram, empatando a partida em 11/11. O primeiro set seguiu equilibrado até Pedro Solberg fechar a parcial, em 21/19.Cuba reagiu no segundo set, fazendo o Brasil suar para conseguir a igualdade no marcador, em 12/12. Só que alguns erros não forçados custaram a segunda parcial para os brasileiros, que viram o time rival levar a decisão para o tie-break. No set de desempate Pedro Solberg e Evandro foram melhores na virada de bola e tiveram três chances para liquidar, fechando o set em 15/11 e o jogo em 2 sets a 1.Nas quartas, os dois times fizeram um confronto "caseiro" em busca da permanência na competição. Álvaro Filho e Vitor Felipe começaram em vantagem na partida, mas aos poucos Pedro Solberg e Evandro encaixaram seu voleibol agressivo e viraram a parcial. Com Evandro fechando a rede e Pedro bem nos ataques, a dupla fechou o primeiro set em 21/14. Na segunda etapa foi a vez dos paraibanos levarem a melhor. Alvinho e Vitor Felipe voltaram determinados a levar o jogo ao set desempate e foram minando o jogo dos cariocas. Na reta final do set, Vitor Felipe conseguiu parar Evandro no bloqueio e a parceria abriu boa vantagem, devolvendo o placar de 21/14. O tie-break começou equilibrado e com os ânimos à flor da pele. Depois de dois erros não forçados de Álvaro Filho e Vitor Felipe, Pedro Solberg e Evandro abriram 6/4, e não largaram mais a ponta, até fechar o set em 15/8 e o jogo em 2 sets a 1."Jogo contra outro time brasileiro é sempre difícil, mas graças ao trabalho da nossa comissão técnica entramos muito focados e motivados. E a gente soube colocar toda essa vontade dentro de quadra e sair com a vitória", afirmou Evandro."Foi um jogo muito difícil, é sempre uma batalha jogar contra brasileiro. Brasileiro é bom, é osso duro mesmo (risos). Mas tivemos um bom desempenho e no tie-break realmente conseguimos jogar nosso melhor. E quando a gente consegue jogar nosso melhor voleibol fica difícil ganhar da gente", completou Pedro Solberg.Horas antes, no início do dia, valendo a vaga nas quartas, Ricardo e Emanuel enfrentaram em Amsterdã os norte-americanos Nick Lucena e Theo Brunner. Os brasileiros começaram a partida com Ricardo aparecendo bem no ataque, e a dupla abriu 12/9. Emanuel, muito acionado no jogo, virou bolas importantes e fechou a primeira etapa, em 21/18. A parceria começou na frente também no segundo set, mas os norte-americanos reagiram e viraram o placar, se mantendo em vantagem de três pontos até o fim do set (21/18). Conhecendo bem os atalhos da quadra, Ricardo e Emanuel buscaram o jogo no início do tie-break, mas pararam no bloqueio de Theo Brunner. Os adversários seguiram explorando os contra-ataques e alcançaram o match point, fechando o terceiro set em 15/11 e adiando o sonho do bicampeonato de Ricardo e Emanuel.Dentro de quadra, os principais atletas disputam o importante título e uma premiação de 1 milhão de dólares (60 mil aos vencedores, 45 mil para os segundos colocados e 35 mil dólares aos medalhistas de bronze). Além de 1000 pontos para a dupla no ranking do Circuito Mundial.Além disso, os países dos atletas campeões estarão automaticamente classificados para as Olimpíadas do Rio 2016. A vaga é da federação, e não do time campeão. O Campeonato Mundial não conta pontos na corrida olímpica brasileira, já que possui formato distinto das demais etapas e possibilita apenas quatro duplas do país em cada naipe. Read More
    Circuito Mundial
  • Bonito de ver Três duplas femininas avançam às semis, Brasil repete 2009 e garante medalhas

    O Brasil está muito próximo de fazer história no Campeonato Mundial da Holanda. Na tarde desta quinta-feira (02.07) três duplas femininas avançaram à semifinal da competição, e pela segunda vez em dez edições o Brasil tem a chance de conquistar as medalhas de ouro, prata e bronze. A última ocorreu em 2009, no Mundial de Stavanger, na Noruega, quando o país ficou com prata, bronze e o quarto lugar.Podem estar no pódio 100% verde e amarelo as duplas Ágatha e Bárbara Seixas (PR/RJ) e Juliana e Maria Elisa (CE/PE), que venceram seus confrontos pelas oitavas e quartas de final, e se enfrentam nesta sexta-feira (02.07), às 15h45 (de Brasília), em Haia. Será o quinto confronto em torneios internacionais entre as duplas, com duas vitórias para cada lado, inclusive na final dos últimos dois torneios do Circuito Mundial. A partida terá transmissão ao vivo do SporTV3.Do outro lado da chave, Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) lutam pela outra vaga na final contra as alemãs Katrin Holtwick e Ilka Semmler, também em Haia, às 14h45 (de Brasília). É uma repetição da final justamente do Grand Slam de Haia, em 2014, quando as brasileiras ficaram com o ouro. No total, a série entre as duplas está empatada com um triunfo para cada lado. O SporTV3 também transmite tudo ao vivo.Pela fase de oitavas de final, Taiana e Fernanda Berti entraram em quadra invictas e com a missão de baterem as espanholas Elsa Baquerizo e Liliana Fernandez. As rivais começaram o jogo em ritmo intenso e abriram 7/3. Com o aproveitamento fantástico de Fê Berti na rede, as brasileiras foram diminuindo a diferença e chegaram ao empate (14/14) após forte cortada da carioca. Com moral no jogo, a parceria fechou a primeira etapa em 21/17. O nome da reta final foi Taiana. Tecnicamente perfeita na defesa e nas viradas de bola, a cearense levantou a torcida em Haia e freou qualquer reação do forte time da Espanha. No fim, Fernanda Berti emplacou mais um bloqueio para fechar o set em 21/19.Na segunda partida do dia, Taiana e Fernanda Berti encararam as australianas Louise Bawden e Taliqua Clancy. No primeiro set, as adversárias entraram com uma proposta defensiva muito bem desenhada e conseguiram praticamente anular os contra-ataques brasileiros, fechando a etapa em 21 a 15. A segunda parcial foi favorável ao Brasil. Com o saque encaixado e a virada de bola eficiente, a parceria começou em vantagem, com 12/9. Taiana e Fê Berti seguiram na frente e em uma cortada da carioca marcaram 21/16, levando a decisão para o terceiro set. O tie-break foi ponto a ponto, as australianas conseguiram dois pontos de vantagem, mas o time brasileiro manteve a calma, acreditando na vitória marcada pela intensa disputa. Durante praticamente toda a etapa decisiva os times estiveram empatados. No fim, após salvar um match point, as brasileiras conseguiram a virada e venceram por 18/16."O jogo foi tenso. As australianas jogaram muito bem, atacando forte e fugindo do bloqueio o tempo inteiro. No segundo set começamos melhor, o jogo encaixou e levamos a decisão para o tie-break, que foi ponto a ponto. Mas em nenhum momento deixamos de acreditar na vitória. A gente falava uma para a outra, ‘vamos, que a gente vai conseguir’, e deu certo. Acho que a nossa união, nossa força de vontade foi o que determinou o final do jogo", disse Berti. Em Apeldoorn, Ágatha e Bárbara Seixas tiveram como adversárias pelas oitavas Melissa Humana-Paredes e Taylor Pischke, do Canadá. As rivais iniciaram a partida em vantagem, mas as brasileiras buscaram o jogo rapidamente. Com Ágatha dominante na rede, o Brasil conseguiu virar o placar, em 13/9, e se distanciar. Bárbara Seixas aproveitou para fechar a primeira etapa em 21/15, em largada rente à rede. A carioca estava com o fundamento afiado, e anotou 2/0 no início do segundo set. Com um cardápio variado de jogadas, as brasileiras seguiram melhores na virada de bola (18/11), ficando muito próximas das quartas. O ponto do jogo veio de Bárbara Seixas, em nova largada no fundo da quadra: 21/14.Horas depois, as campeãs da última etapa do Circuito Mundial enfrentaram as chinesas Fan Wang e Yuan Yue nas quartas de final. Minutos antes do início da partida, uma fina chuva começou a cair sobre a arena instalada na cidade do interior holandês, deixando o clima mais ameno, ao menos, fora de quadra. Dentro das quatro linhas, o jogo foi quente. A partida começou em equilíbrio, com ambas as equipes bem postadas em quadra e confirmando seus serviços. No bloqueio de Ágatha, a dupla quebrou o serviço chinês para abrir 8/6. Com ataques velozes, Fan Wang e Yuan Yue se recuperaram e viraram o jogo para 14/12. O Brasil voltou a empatar a partida, e na reta final do set fechou na etapa, em ace de Ágatha (21/18).Na segunda parcial a chuva caiu de vez em Apeldoorn, e as brasileiras se mantiveram ligadas no jogo, não deixando as chinesas buscar reverter o revés do set anterior. Cada ponto convertido pela parceria ia minando a confiança chinesa, que passou a errar mais. Após grande troca de bolas, Bárbara Seixas anotou 18/16 em largada na diagonal. Na sequência da partida, já com o match point, a carioca liquidaria o set, em 23/21. "A gente sabia que seria um jogo muito difícil contra a China. Mas o mais importante é que a gente acredita muito no nosso potencial como time, e no trabalho que toda a equipe vem fazendo. Chegamos muito preparadas e mesmo nos momentos de oscilação estávamos muito confiantes no que precisava ser feito. Isso ficou claro pela nossa atitude, e fez com que a gente se superasse", disse Bárbara, que destacou o bom momento do vôlei de praia brasileiro."Vai ser nosso terceiro jogo contra Juliana e Maria Elisa no Circuito Mundial, mas quem está de parabéns é o vôlei de praia brasileiro, com três times na semifinal no campeonato do mundo. Nós atletas e todo mundo que trabalha com o voleibol sabe das dificuldades do esporte em alto rendimento, então é um momento especial", completou a carioca.Duelo verde e amareloO confronto mais aguardado do dia de decisões no Campeonato Mundial envolveu dois dos principais times brasileiros da atualidade. De um lado, Larissa e Talita (PA/AL), campeãs do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia e que alcançaram as oitavas de maneira invicta. Do outro lado da rede estavam suas ex-parceiras Juliana e Maria Elisa (CE/PE), campeãs do Circuito Mundial 2014 e que começavam a crescer na competição. Como era esperado, foi um duelo parelho.No primeiro set, Larissa e Talita entraram mais atentas em quadra e abriram uma boa vantagem, que chegou a ser de quatro pontos. Juliana e Maria Elisa reagiram e a partir da segunda metade do set mantiveram um jogo equilibrado, reduzindo a vantagem das rivais a um ponto. Mesmo assim, Larissa e Talita souberam administrar o confronto e mantiveram a frente até o final, fechando o set em 21/19.No segundo set, ainda que Juliana e Maria Elisa tenham largado na frente, Larissa e Talita voltaram a explorar o fundo de quadra para virar o jogo. A partir do 14/14, o confronto transformou-se em um duelo eletrizante, com as duplas empatando seguidamente. Porém, Juliana e Maria Elisa reassumiram a vantagem e no final do set conseguiram abrir três pontos para fechar em 21/18, forçando o tie-break.No desempate, o ritmo não foi diferente. Mas prevaleceu a experiência de Juliana. A jogadora ditou o ritmo do set decisivo, o que definiu a vitória de sua dupla. Em um dos tempos solicitados, quando venciam por 11/8, Maria Elisa disse a Juliana. "Agora precisamos controlar a ansiedade, evitar erros de saque e ser frias", pontuou. O conselho serviu como nunca: Juliana e Maria Elisa se aproximaram da vitória sobre uma estratégia que uniu calma e muito jogo tático. Imprimindo seu ritmo de jogo, a dupla alcançou 14/12. O primeiro match point foi salvo por Talita, mas no segundo, Maria Elisa soltou o braço para fechar o terceiro set em 15/13 e o jogo em 2 sets a 1, em 1h15 de partida.Horas após vencer Larissa e Talita, Juliana e Maria Elisa seguiram em Amsterdã para enfrentarem as canadenses Sarah Pavan e Heather Bansley pelas quartas. O primeiro set foi marcado pelo intenso equilíbrio, com os times se mantendo empatados até a casa dos 20 pontos. As canadenses abriram 20/19 e conquistaram o set point, que foi salvo por Maria Elisa. Depois de salvar outro set point, foi a vez das brasileiras terem o ponto do set e fecharem a parcial em 25/23. Na segunda parcial, Juliana e Maria Elisa imprimiram seu ritmo e não deram chance para as rivais. Em grande ataque de Juliana, as brasileiras fecharam o set em 21/18.Entre os times classificados às semifinais, apenas Juliana já conquistou o ouro em um Mundial. Bárbara Seixas e Maria Elisa possuem um bronze, enquanto Fernanda Berti, Taiana e Ágatha buscam a primeira medalha na segunda competição mais importante do vôlei de praia.Dentro de quadra, os principais atletas disputam o importante título e uma premiação de 1 milhão de dólares (60 mil aos vencedores, 45 mil para os segundos colocados e 35 mil dólares aos medalhistas de bronze). Além de 1000 pontos para a dupla no ranking do Circuito Mundial.Além disso, os países dos atletas campeões estarão automaticamente classificados para as Olimpíadas do Rio 2016. A vaga é da federação, e não do time campeão. O Campeonato Mundial não conta pontos na corrida olímpica brasileira, já que possui formato distinto das demais etapas e possibilita apenas quatro duplas do país em cada naipe. Read More
    Circuito Mundial
  • Grupos definidos Nova dupla e volta de campeão entre vencedores do qualificatório em Vitória

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 02.07.2015 A terceira etapa do Circuito Banco do Brasil Challenger, em Vitória (ES), conheceu os times classificados à fase de grupos nesta quinta-feira (02.07), com a disputa do qualificatório. Foram realizadas 45 partidas, 26 no torneio masculino e outras 19 no feminino, todas com entrada franca à torcida na Praia de Camburi. Quatro times em cada gênero avançaram e as partidas seguem nesta sexta-feira (03.07) Destaque para a volta ao torneio principal do campeão do Circuito Mundial 2008, Harley (DF), que ao lado do parceiro Guto (SP) havia caído nesta fase nas duas últimas etapas. Outra novidade foi a classificação de uma nova formação. Agora jogando ao lado de Carolina, Thaís (RJ) conseguiu uma das quatro vagas. No masculino, 30 times brigavam pelas quatro vagas. A primeira dupla a avançar à chave principal foi Felipe Cavazzin/Zé Írio (PR/MS) que precisou vencer dois jogos, no último deles, valendo a vaga, vitória sobre George/Pedro (PB) por 2 sets a 1 (21/17, 20/22 e 16/14). Marcus/Vinícius (RJ/ES) também jogou duas vezes e garantiu passagem à próxima fase ao bater a dupla carioca formada por Matheus Baby e Eduardo (RJ) por 2 sets a 0 (21/19 e 21/13). A terceira dupla a se classificar foi Harley/Guto (DF/SP) que venceu três jogos. O que garantiu o ingresso à fase de grupos foi o triunfo, de virada, sobre Luccas Lima/Álvaro Andrade (SP/SE) por 2 sets a 1 (18/21, 21/19 e 15/12). Os jovens paranaenses Arthur Lanci e Eduardo Davi jogaram três vezes para seguir na competição principal. Eles derrotaram a dupla formada pelo medalhista olímpico Márcio Araújo (CE) e Symon (MS) na última partida desta quinta-feira por 2 sets a 0 (21/15 e 21/16). Já estavam garantidos na fase de grupos do torneio masculino do Challenger as duplas Fábio Guerra/Daniel Souza (RJ), Léo Vieira/Luciano (DF/ES), Léo Gomes e Bernat (RJ), Benjamin/André (MS/ES), Anderson Melo/Averaldo (RJ/TO), Lipe/Fábio (CE/CE) e Oscar/Thiago (RJ/SC). Já no torneio feminino, Ana Patrícia e Juliana Simões (MG/PR) foram as primeiras a se classificarem para a chave principal com a vitória por dois sets a 0 sobre Maria Clara/Natasha (RJ) (21/15 e 23/21), antes elas tinham passado por Brenda e Karola (ES). As cariocas Carolina e Thaís avançaram ao levarem a melhor sobre Paola/Sofia (SC/DF) (21/14 e 21/19). Rebecca/Neide (CE/AL) venceu dois confrontos por 2 sets a 0 para conseguir avançar à próxima fase: Semírames/Renata (ES/RJ) (21/17 e 21/18) e depois Carol/Amanda (RJ) 21/13 e 21/15). Aline/Beatriz (SC/RJ) completou o grupo de quatro duplas que continuam na competição. A dupla derrotou Hellem/Silvania (TO) por 2 sets a 0 (21/18 e 21/10) e Danielle/Ari Melo (MS/SP) por 2 sets a 1 (18/21, 21/15 e 15/13). No torneio feminino, já tinham vaga na fase de grupos pela posição no ranking os seguintes times: Val/Camila (RJ), Duda/Elize Maia (SE/ES), Andréa Teixeira/Leize (SC), Rachel/Ângela (RJ/DF), Amanda/Fabrine (RJ/BA), Fabíola/Luciana (DF/CE), Rafaela e Michelle (PA/RJ) e Tainá/Andressa (SE/PB). O sistema de disputa da competição funciona da seguinte forma. Os 12 times finais são divididos em três grupos de quatro e duelam pela primeira fase, no segundo dia de competições (sexta-feira). Avançam os primeiros e segundos de cada grupo, além dos dois melhores terceiros. Ainda no segundo dia ocorre a disputa das quartas de final. O terceiro e último dia (sábado) tem a disputa das semifinais, bronze e finais dos dois gêneros. A temporada 2015 do Challenger é formada por quatro etapas e será sediada, após passar por Chapecó-SC, Campo Grande-MS e agora Vitória-ES, em Cabo Frio-RJ (24 a 26 de julho). Os jogos do Circuito Challenger contam com transmissão ao vivo das partidas da quadra central pelo link http://cbbvp.cbv.com.br/index.php/aovivo. Na primeira etapa, em Chapecó (SC), títulos para Luciano/Léo Vieira (ES) e Val/Josi (RJ/SC). Elas repetiriam a conquista na etapa seguinte, em Campo Grande (MS), quando Fábio Guerra/Daniel Souza (RJ) levou o ouro no torneio masculino.O time vencedor de cada etapa soma 400 pontos, além de receber uma premiação de R$ 14 mil. Somando os dois naipes, o torneio distribui cerca de R$ 130 mil aos atletas. Na liderança do ranking geral, que soma os pontos de todas as etapas, Fábio Guerra/Daniel Souza (RJ) aparecem em primeiro, com 760 pontos. A liderança no ranking feminino é de Val/Josi (RJ/SC), com 800 pontos. VEJA TODOS OS RESULTADOS DO QUALIFICATÓRIO Read More
    Circuito Challenger
  • Super vitória Brasil bate a Itália por 3 sets a 0 em Cuiabá

    Comumente, Brasil e Itália fazem confrontos de grande rivalidade no vôlei. Nesta quinta-feira (02.07), a história se repetiu no ginásio Aecim Tocantins, Cuiabá (MT), onde as equipes se enfrentaram pela última rodada da fase classificatória da Liga Mundial. No final do confronto, vitória brasileira por 3 sets a 0 (25/20, 26/24 e 25/19), e, 1h26 de jogo que contou com a casa cheia, com cerca de 11.600 torcedores. Nesta tarde, o ponteiro Lucarelli foi um dos principais destaques. O atacante foi o maior pontuador, com 12 acertos, e, após a partida, afirmou que o 3 a 0 não corresponde a realidade do que enfrentaram dentro de quadra. “Às vezes o placar engana um pouco. Hoje foi um jogo difícil, o calor estava muito forte e isso foi desgastante e ainda bem que conseguimos uma vitória”, comentou Lucarelli. Capitão do Brasil e aniversariante do dia, o levantador Bruninho sentiu o calor da torcida cuiabana e o calor da cidade de Cuiabá “Saímos de Sydney, onde jogamos no último domingo, em uma temperatura abaixo de 10 graus para enfrentar esse calor agora, mas isso é algo que estamos acostumados. Jogamos no Brasil quase sempre nesse calor. Sentimos um pouco, mas procuramos hidratar sempre e nos preparamos para isso”, disse Bruninho. De volta a beira da quadra, depois de 10 jogos de suspensão, o técnico Bernardinho gostou do que viu nesse retorno ao comando da seleção brasileira. “Fizemos um bom primeiro set e, no segundo, começamos mal, mas talvez tenha sido o mais interessante da partida. Começamos mal, mas soubemos recuperar, colocamos pressão no saque, jogamos com inteligência e foi importante a vitória. No terceiro, soubemos controlar bem. Foi um bom resultado, mas ainda temos que melhorar mais amanhã”, analisou Bernardinho, sempre exigente. As seleções brasileira e italiana voltam a se enfrentar nesta sexta-feira (03.07), novamente às 14h (Horário de Brasília), no mesmo local, para o último jogo das duas equipes na fase classificatória. A partida terá transmissão ao vivo da Globo e da Band. O Brasil já está classificado por ser o país-sede e, também, pela pontuação, já que é líder do Grupo A. A Itália, segunda colocada, também está garantida. A Fase Final, onde estarão as seis melhores seleções da Liga Mundial, acontecerá de 14 a 19 de julho, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ). O JOGO O Brasil começou melhor e abriu 3/1. Os donos da casa seguiram com boa vantagem em 7/3. No potente ataque de Wallace, a seleção foi para o primeiro tempo técnico com quatro de vantagem (8/4). Quando o Brasil chegou a 12/8, a seleção italiana pediu tempo. Depois de uma bola bastante disputada, Isac atacou e pontuou para a seleção brasileira: 15/11. Contando com erros da Itália, o Brasil chegou a 20/15. Depois de bom saque de Lucarelli, o Brasil contra atacou e Wallace fez 24/19. Para finalizar o set, Lucarelli fez 25/20. O segundo set começou diferente, favorável a Itália, que logo abriu 8/2. No bloqueio simples de Lucão, a diferença caiu para 8/4. Depois de longa disputa, Wallace finalizou a jogada e fez o quinto ponto. Os italianos voltaram a abrir e colocaram o dobro de pontos em 12/6. No ace de Lucão, a vantagem adversária caiu para 13/10. Com ponto de saque de Lucarelli, o Brasil chegou ao ponto de empate: 16/16. A equipe da casa manteve o bom ritmo e fez 21/19. A Itália buscou e quando o marcador estava em 22/22, Bernardinho pediu tempo. Novo empate em 24/24. Mas, no bloqueio de Murilo, o Brasil fechou em 26/24. O equilíbrio permaneceu no início da terceira parcial. No erro do Brasil, a Itália colocou dois de vantagem (5/3). Na china de Lucão, a seleção brasileira encostou em 8/7. O time da casa virou e assumiu o comando do placar em 11/10 e, partir daí, dominou a parcial. Contando com apoio da torcida, a seleção brasileira manteve o bom ritmo e, na parcial mais tranquila, fechou em 25/19. EQUIPES BRASIL – Bruno, Wallace, Isac, Lucão, Murilo e Lucarelli. Líbero – SerginhoEntraram – William, Evandro, LipeTécnico: Bernardinho ITÁLIA – Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Zaytsev e Lanza. Líbero – Colaci Entraram – Sabbi, Massari, Antonov, MengozziTécnico: Mauro Berruto GALERIA DE FOTOS http://2015.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/21752-cuiaba-mt-02-07-2015-liga-mundial-2015-brasil-x-italia O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro   Read More
    Liga Mundial
  • campeões Títulos inéditos para Ana Patrícia/Rebecca e Vinícius/Matheus

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 01.07.2015 A etapa de Vitória (ES), a terceira do Circuito Banco do Brasil Sub-23, coroou dois novos campeões na atual temporada. Após dois vice-campeonatos nas paradas anteriores, Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE) conquistaram o primeiro título juntas. No masculino, Vinícius e Matheus (ES/RJ) levaram a melhor e também subiram ao lugar mais alto do pódio pela primeira vez em 2015. As partidas foram disputadas nesta quarta-feira (01.07), na Praia de Camburi, com entrada franca à torcida. A final feminina foi uma ‘revanche’ de Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE). Na decisão da etapa de Campo Grande (MS), elas haviam sido superadas por Duda/Tainá (SE), mas desta vez deram a volta por cima e venceram por 2 sets a 0 (21/15, 21/15), em 30 minutos. Motivo de comemoração para a mineira, que enalteceu a adversária, com quem conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2014. "A gente vinha fazendo bons jogos, bons torneios, mas sempre batendo na trave. No início da etapa conversamos bastante, tentamos acertar todos os detalhes não esperávamos um jogo fácil de jeito nenhum. Ainda mais por serem duas atletas de muita qualidade. Duda e eu temos muito respeito e carinho. Até pela relação juntas, fomos campeãs olímpicas da juventude. Mas entramos muito focadas, errando muito pouco. E acredito que isso foi fundamental", analisou. Na disputa de bronze, Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ), que tinham sido superadas por Duda e Tainá (SE) na semifinal, com derrota por 2 sets a 0 (21/14, 21/17), se recuperaram. Elas venceram Victoria e Ana Carolina (MS/SE) por 2 sets a 0 (21/13, 21/15), completando o pódio da etapa. Victoria e Ana Carolina (MS/SE) perderam na semifinal para Ana Patrícia e Rebecca (MG/CE) por 2 sets a 0 (21/13, 21/9), em 30 minutos. Já na final masculina, Matheus Maia e Jonas (RJ) tentavam o segundo título de etapa consecutivo, mas pararam em um grande desempenho de Vinícius e Matheus (ES/RJ), que venceram por 2 sets a 0 (31/29, 21/12), em 39 minutos de partida. Na disputa do bronze, Eduardo Davi e Arthur Lanci (PR) superaram Léo Morais e George (PB) por 2 sets a 1 (16/21, 21/16, 15/12), em 42 minutos de duração. Ainda nesta quarta-feira, horas antes, nas semifinais, Matheus e Jonas levaram a melhor sobre Léo Morais e George (PB) por 2 sets a 0 (22/20, 21/19), em 40 minutos. Na outra semi, Vinícius e Matheus eliminaram Lanci e Davi por 2 sets a 0 (23/21, 21/16), em 40 minutos. Após Vitória (ES), a próxima parada do torneio será no Rio de Janeiro (RJ), de 4 a 6 de agosto. Na etapa de abertura, em Chapecó (SC), títulos para Arthur Lanci/Eduardo Davi (PR) e Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ). Já na segunda etapa, em Campo Grande (MS), Duda/Tainá e Matheus Maia/Jonas (RJ) ficaram com a medalha de ouro. As duas últimas etapas serão em Salvador (BA), de 8 a 10 de setembro, e Brasília (DF), de 13 a 15 de outubro. Diferente dos outros dois torneios de base nacionais (Sub-19 e Sub-21), no Sub-23 os atletas não precisam representar o mesmo estado para formarem as duplas. Os campeões em cada naipe recebem uma premiação de R$ 3,7 mil. O Circuito Banco do Brasil Sub-23 foi criado no final de 2011, com a etapa de estreia ocorrendo em João Pessoa, em março de 2012. A competição foi lançada visando dar mais um passo a favor do fortalecimento das categorias de base do Vôlei de Praia brasileiro, promovendo uma integração ao profissional. Read More
    Circuito Sub 23
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1
  • 2
  • 1

Seleção Masculina

Super vitória

Liga Mundial 

Brasil bate a Itália por 3 sets a 0 em Cuiabá

Clássico

Liga Mundial 

Brasil encara a Itália em jogo de grande rivalidade

Vôlei Praia

perto do pódio

Circuito Mundial 

Alison/Bruno e Pedro/Evandro avançam às semis e garantem medalha ao Brasil

Bonito de ver

Circuito Mundial 

Três duplas femininas avançam às semis, Brasil repete 2009 e garante medalhas

Seleção Feminina

primeiro desafio

Grand Prix 

Brasil estreia contra o Japão nesta sexta-feira

Em Bangcoc

Grand Prix 

Brasil chega à Tailândia e realiza primeiro treino

Vôlei Quadra

Super vitória

Liga Mundial 

Brasil bate a Itália por 3 sets a 0 em Cuiabá

Clássico

Liga Mundial 

Brasil encara a Itália em jogo de grande rivalidade


COMPETIÇÕES QUADRA

  •  SUPERLIGA CBS   SUPERLIGA B   Liga Nacional    MASTER  
  • Superliga
  • Superliga
  • CBS
  • COPA BRASIL
  • Vôlei Master



COMPETIÇÕES PRAIA

  • CBBVP - Open
  • CBBVP - Open
  • CBBVP - Open
  • CBBVP - Open
  • Vôlei Master