• definições na holanda Alison/Bruno garante liderança da chave; dois tropeços completam rodada

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 29.06.2015 O Brasil acumulou um resultado positivo e dois tropeços nos confrontos desta segunda-feira (29.06) pelo torneio masculino do Campeonato Mundial da Holanda. Alison e Bruno Schmidt venceram os austríacos Clemens Doppler e Alexander Horst por 2 sets a 0 (21/19 e 21/14) e conseguiram se classificar em primeiro lugar no grupo C, garantindo um cruzamento melhor, sem enfrentar nenhum outro líder de grupo. Já Pedro Solberg e Evandro (RJ) e Álvaro Filho e Vitor Felipe (PB) lutaram, mas não conseguiram superar os mexicanos Lombardo Ontiveros e Juan Virgen (2 sets a 0, parciais de 21/18 e 21/11) e Christian Garcia e Francisco Alfredo Marco, da Espanha ( 2 sets a 1, em parciais de 21/13, 16/21 e 15/13), respectivamente. Apesar do revés, as duplas seguem em busca da classificação para a próxima fase nesta terça-feira (30.06). Pelo encerramento da fase de grupos, os cariocas enfrentam às 14h (de Brasília), em Rotterdã, Alexander Walkenhorst e Stefan Windscheif, da Alemanha. Uma hora mais tarde, em Apeldoorn, é a vez dos paraibanos entraram em quadra contra os norte-americanos Jake Gibb e Casey Patterson, com transmissão ao vivo do SporTV3. Ricardo e Emanuel, que venceram seus dois primeiros jogos em Amsterdã, também encerram a primeira fase nesta terça-feira, contra os espanhóis Pablo Herrera e Adrian Gavira, também com transmissão ao vivo do SporTV3, às 13h. Única dupla verde e amarela a vencer hoje, Alison e Bruno Schmidt enfrentaram Clemens Doppler e Alexander Horst, da Áustria na cidade-sede de Apeldoorn, valendo o primeiro lugar do grupo C. O jogo começou morno, com ambos os times somando pontos apenas em erros não forçados. Quando os times enfim entraram na partida, o Brasil levou vantagem. Com Alison e Bruno Schmidt se alternando no ataque, a parceria fechou a primeira etapa em 21/19. Com uma cortada logo no início do segundo set, Alison apresentaria a tônica do jogo na etapa final. Dominante em quadra, a dupla encaminhou a vitória com 18/12, fechando o set em 21/14 e o jogo e m 2 sets a 0. "Três jogos e três vitórias em três dias. O formato do Campeonato Mundial é bem similar os dos Jogos Olímpicos. Isso é bom, Alison gosta muito desse tipo de disputa e eu também estou bem motivado. E a competição ter sido dividida entre cidades é mais legal ainda, uma inovação que está agradando. O torneio é longo. Fizemos uma boa primeira fase, o dever foi cumprido até agora, mas agora, com os jogos eliminatórios o foco tem que ser maior ainda", disse Bruno Schmidt após a partida. Também em Apeldoorn, Álvaro Filho e Vitor Felipe não tiveram vida fácil contra Christian Garcia e Francisco Alfredo Marco. Apesar de o primeiro ponto da partida ser favorável ao Brasil, aos poucos os espanhóis foram crescendo no set, e com o ataque funcionando bem alcançaram o placar de 21/13. Na segunda etapa os adversários largaram em vantagem, com 4/1, mas o time da Paraíba, com uma proposta de jogo mais agressiva, rapidamente virou o placar e abriu vantagem, fechando o set em 21/15 e levando a decisão para o set tie-break. No set desempate Álvaro Filho emplacou bons momentos no ataque, colocando a parceria em vantagem, com 8/7. Mas, se aproveitando de erros não forçados, Christian Garcia e Francisco Alfredo Marco retomaram a ponta para fechar a etapa em 15/13 e o jogo em 2 sets a 1. Para avançar em primeiro na chave, Álvaro/Vitor precisa de um triunfo sobre os norte-americanos, além de um tropeço de Marco/García contra os argentinos Azaad/Bianchi.O segundo confronto de Pedro Solberg e Evandro pelo grupo L começou com vantagem para a dupla mexicana formada por Lombardo Ontiveros e Juan Virgen. O Brasil rapidamente se recuperou, igualando o placar em 5/5, depois de cravada certeira de Evandro. O primeiro set seguiu equilibrado até a casa dos 15 pontos, quando o México se distanciou no marcador para fechar a etapa em 21/18. O segundo set foi todo mexicano. Com a estratégia frustrada pelo adversário, Pedro e Evandro não conseguiram desenvolver seu voleibol e acabaram derrotados na etapa final por 21/11. Os cariocas não podem mais terminar na liderança da chave, já que só podem alcançariam cinco pontos, mesmo número da dupla mexicana, que levaria vantagem no confronto direto. Mesmo assim, a vitória é importante para garantir a segunda posição da chave. Dentro de quadra, os principais atletas disputam o importante título e uma premiação de 1 milhão de dólares (60 mil aos vencedores, 45 mil para os segundos colocados e 35 mil dólares aos medalhistas de bronze) e 1000 pontos para a dupla no ranking do Circuito Mundial. Além disso, os países dos atletas campeões estarão automaticamente classificados para as Olimpíadas do Rio 2016. A vaga é da federação, e não do time campeão. O Campeonato Mundial não conta pontos na corrida olímpica brasileira, já que possui formato distinto das demais etapas e possibilita apenas quatro duplas do país em cada naipe. VEJA TODOS OS RESULTADOS DO TORNEIO MASCULINO VEJA A GALERIA DE FOTOS Read More
    Circuito Mundial
  • É Campeão Brasil vence Copa Pan-Am Sub-21 masculina

    A seleção brasileira Sub-21 masculina sagrou-se campeã da Copa Pan-Americana da categoria neste domingo (28.06). Na final, a equipe verde e amarela levou a melhor sobre os Estados Unidos por 3 sets a 0 (25/22, 25/23 e 25/17), em 1h20 de jogo no Center Sportif de Gatineau, no Canadá. Com o resultado o Brasil chegou ao título de forma invicta, perdendo apenas dois sets em cinco partidas. Na grande decisão os destaques brasileiros foram o oposto Madaloz e o ponteiro Vaccari com 13 pontos cada um. Para chegar à final os garotos do Brasil passaram pelo Chile na semifinal, no último sábado (27.06) por 3 sets a 1 (25/17, 25/15, 22/25 e 25/19). Ao final do torneio três atletas do Brasil receberam premiações individuais: o ponteiro Rodriguinho foi eleito o melhor saque, Rogerinho  foi o melhor líbero e ficou com a melhor defesa, e Pedro Jukoski, filho do campeão olímpico Paulão, levou o prêmio de melhor levantador. “Estou muito orgulhoso de ver que ele está seguindo o próprio caminho a partir da trilha que eu abri. O voleibol sempre foi muito importante na minha vida e continuará sendo. É muito gratificante ver que no meio de tantos bons valores que o voleibol brasileiro tem o meu filho consegue se destacar. Nós sempre conversamos muito e eu tento passar os valores que o esporte me deu de respeito e amizade”, contou Paulão a respeito da façanha do filho mais velho. O campeão em Barcelona 92. “O voleibol brasileiro é muito forte e está muito bem estruturado. Conta com profissionais comprometidos com o desenvolvimento do esporte. Temos uma situação única, uma safra muito boa, o que faz do nosso país uma referência em todas as categorias”, completou o ex-central. O diretor de seleções da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Renan Dal Zotto, comemorou mais um título do Brasil nas categorias de base e fez coro aos comentários de Paulão. “Este resultado é fruto do trabalho que estamos desenvolvendo com a nova geração de talentos que o Brasil tem. Este grupo conseguiu o título Sul-Americano Sub-20 no ano passado também de forma invicta. Nosso foco agora é seguir com o projeto e o próximo desafio será no mundial do México em setembro”, completou o dirigente. A Copa Pan-Americana Sub-21 serviu de preparação para o mundial da categoria que acontece em setembro no México, quando o Brasil terá o Irã, a China e Cuba na primeira fase. COPA PAN-AMERICANA SUB-21 MASCULINO Grupo B 23.06 – BRASIL 3x0 El Salvador (25/11, 25/11 e 25/14) 24.06 – BRASIL 3x1 EUA (25/23, 25/18, 13/25 e 25/20) 25.06 – BRASIL 3x0 Barbados (25/23, 25/12 e 25/08) Semifinal 27.06 – BRASIL 3x1 Chile (25/17, 25/15, 22/25 e 25/19) Final 28.06 – BRASIL 3x0 EUA (25/22, 25/23 e 25/17) O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro Read More
    Institucional
  • começa a disputa Qualificatório abre etapa de Vitória (ES) e oito times avançam

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 29.06.2015 Celeiro de grandes craques das areias, como André Loyola, Fábio Luiz, Alison, Larissa, Lili e diversos outros nomes, Espírito Santo terá uma semana de muito vôlei de praia. E a largada começou nesta segunda-feira (29.06), com o qualificatório do Circuito Banco do Brasil Sub-23. Foram 11 jogos na Praia de Camburi, que definiram as últimas quatro duplas de cada gênero classificadas à fase de grupos da competição. Além da etapa do Sub-23, a cidade receberá na sequência a terceira etapa do Circuito Banco do Brasil Challenger, categoria principal com atletas de destaque do cenário nacional. As partidas seguem nesta terça-feira (30.06), a partir das 8h30, com entrada franca na arena montada na orla de Camburi. No torneio masculino, oito duplas já estavam classificadas à fase de grupos pela posição no ranking de entradas. As quatro vagas restantes foram definidas em confrontos eliminatórios entre 10 times, com seis partidas. Vinícius/Daniel (RJ) venceu Huguete/Iuri (ES) por 2 sets a 1 (18/21, 21/12, 15/10), conquistando a primeira vaga. No segundo confronto valendo vaga, triunfo de Márcio/Saymon (MS) sobre Raul/Índio (SE/ES) por 2 sets a 0 (21/17, 21/11). Também conseguiram avançar os cearenses Allyson Lima e Jefferson , que derrotaram Murylo/Marcondes (GO) por 2 sets a 0 (21/17, 21/14), além do atleta da casa Fernando (ES), que jogando ao lado de Ravel (RJ), eliminou Cabelo/Gabriel Mussi (AL/RJ) por 2 sets a 0 (21/15, 22/12). Os quatro classificados se juntam aos times já garantidos pelo ranking, que são: Vinícius/Matheus (ES/RJ), Eduardo Davi/Arthur Lanci (PR), Léo Morais/George (PB), Matheus Maia/Jonas (RJ), Gabriel Gouveia/Igor Borges(RJ), Pedro/Antônio Carlos (PB/RJ), Vitor Micael/Lucas (DF) e Salvino/Sheldon (MG/RR). O torneio feminino seguiu o mesmo formato, mas com nove times brigando pelas últimas quatro vagas, em cinco jogos disputados. Ana Carolina/Roberta Glatt (RJ) foi a primeira equipe classificada ao superar Jéssica/Thamela (ES) por 2 sets a 0 (21/9, 21/14). Na segunda partida valendo vaga, Clicia/Ju (AM) derrotou Gabi/Milena (ES) por 2 sets a 0 (21/17, 21/9) e conquistou a classificação. Aretha/Ludiane (RJ/ES) foi o terceiro time classificado ao derrotar Brenda/Karola (ES) por 2 sets a 0 (21/19, 21/13). Por fim, Verena/Hegê (CE) eliminou Thaís e Amanda (ES) por 2 sets a 0 (21/13, 21/11), conquistando a vaga final. As vencedoras no qualificatório se juntam a Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ), Victoria/Ana Carolina (MS/SE), Duda/Tainá (SE), Beatriz/Amanda (RJ), Paola/Sofia (SC/DF), Thamara/Maria Clara (BA/RJ) e Anna Luisa/Carolina (RS). A competição em Vitória terá a presença de cinco campeões mundiais Sub-19 (Arthur Lanci, George, Andressa, Duda e Tainá) e duas campeãs dos Jogos Olímpicos da Juventude (Duda e Ana Patrícia). Além disso, dois filhos de campeões olímpicos também tentarão fazer bonito em Vitória. Pedro Henrique (PB) é filho de Ricardo (BA), enquanto Matheus ‘Cabelo’ (AL) é filho do parceiro do baiano, o curitibano Emanuel. Na etapa de abertura, em Chapecó (SC), títulos para Arthur Lanci/Eduardo Davi (PR) e Andressa/Paula Hoffmann (PB/RJ). Já na segunda etapa, em Campo Grande (MS), Duda/Tainá e Matheus Maia/Jonas (RJ) ficaram com a medalha de ouro. Modo de disputa Os 12 times finais são divididos em três grupos de quatro e duelam pela primeira fase, no segundo dia de competições. Avançam os primeiros e segundos de cada grupo, além dos dois melhores terceiros colocados. Ainda no segundo dia dos torneios ocorre a disputa das quartas de final. O terceiro e último dia tem a disputa das semifinais, bronze e finais dos dois gêneros. A dupla campeã de cada etapa soma 200 pontos no ranking que define os campeões da temporada, além de uma premiação em dinheiro para os times na disputa. O Circuito Banco do Brasil Sub-23 conta com seis etapas. Após Chapecó (SC), Campo Grande (MS) e, agora, Vitória (ES), o torneio passará por Rio de Janeiro (RJ), de 4 a 6 de agosto, Salvador (BA), de 8 a 10 de setembro, e Brasília (DF), de 13 a 15 de outubro. Diferente dos outros dois torneios de base nacionais (Sub-19 e Sub-21), no Sub-23 os atletas não precisam representar o mesmo estado para formarem as duplas. O Circuito Banco do Brasil Sub-23 foi criado no final de 2011, com a etapa de estreia ocorrendo em João Pessoa, em março de 2012. A competição foi lançada visando dar mais um passo a favor do fortalecimento das categorias de base do Vôlei de Praia brasileiro, promovendo uma integração ao profissional. SERVIÇO - CIRCUITO BB SUB-23Data: Até quarta-feira (01.07)Horário: A partir das 8h30Local: Orla da Praia de Camburi, Vitória (ES)Entrada gratuita Read More
    Circuito Sub 23
  • três jogos Jornalistas podem se credenciar para a etapa em SP até o dia 6 de julho

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 22.06.2015 A imprensa interessada em fazer a cobertura da etapa do Grand Prix no Brasil pode se credenciar até o dia 6 de julho, no site da Federação Internacional de Voleibol (FIVB). As partidas no Brasil acontecerão no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), entre os dias 10 e 12 de julho. <b>10/7 - 14h - Brasil x Bélgica</b> 10/7 - 16h - Alemanha x Tailândia <b>11/7 - 10h - Brasil x Tailândia</b> 11/7 - 12h - Bélgica x Alemanha <b>12/7 - 10h - Brasil x Alemanha </b>12/7 - 12h - Bélgica x Tailândia As solicitações deverão ser feitas individualmente no site da FIVB: www.fivb.org/EN/Media/accreditation.asp Os interessados deverão se cadastrar no sistema da entidade. Caso já estejam registrados, basta fazer o login na mesma página, clicando no botão localizado na coluna à direita. Para novos cadastros, a inserção da foto no formulário é obrigatória, assim como o preenchimento dos seguintes campos: - Last name- First name- Nationality- Gender- Email address- Birthdate- Function- Media organization- Phone number- Mobile number No quinto passo, cada jornalista deverá selecionar o evento World Grand Prix 2015 - 1st Group e, então, escolher a etapa do Brasil. Após a aprovação do registro, cada jornalista receberá um login e uma senha, com os quais poderá efetuar outros pedidos de credenciamento no futuro. Os jornalistas que tiverem seus pedidos aceitos serão informados pela assessoria de comunicação da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) sobre local e data de retirada das credenciais no dia 7 de Julho. Em caso de dúvidas com o credenciamento para o Grand Prix, entrar em contato com a assessoria de comunicação da FIVB através do e-mail press@fivb.org. Demais dúvidas devem ser encaminhadas para a assessoria de comunicação da CBV, pelo e-mail imprensa@volei.org.br <i>O Banco do Brasil é o patrocinador do vôlei brasileiro</i> Read More
    Grand Prix
  • Só vitórias Brasil segue invicto no feminino e conquista mais quatro vitórias na Holanda

    Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 28.06.2015 O Brasil segue invicto no torneio feminino do Campeonato Mundial de vôlei de praia, realizado em quatro cidades da Holanda. As quatro duplas que representam o país entraram em quadra neste domingo (28.06), venceram todos os jogos e não perderam nenhum set. Enquanto Ágatha/Bárbara Seixas (PR/RJ), Juliana/Maria Elisa (CE/PE) e Larissa/Talita (PA/AL) vencem a segunda na competição, enquanto Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) estrearam com o pé direito. Três duplas brasileiras entram em quadra novamente nesta segunda-feira (29.06), em dia de importantes definições. Juliana/Maria Elisa (CE/PE) encara as alemãs Chantal Laboureur e Julia Sude, que têm dois triunfos, na briga pela primeira colocação do grupo G. A partida ocorre às 15h (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV3. As duplas já se enfrentaram duas vezes na história, com uma vitória para cada lado. Já Fernanda Berti e Taiana (RJ/CE) disputam o segundo jogo na chave I às 16h45, com transmissão do SporTV3, contra as suíças Isabelle Forrer e Anouk Verge-Depre. As adversárias das brasileiras também venceram na estreia e os times já haviam se enfrentado uma única vez, justamente na Holanda, em 2014. Naquela temporada, Fê e Taiana venceram o jogo da fase de grupos e mais tarde seriam campeãs em Haia. Ágatha/Bárbara Seixas (PR/RJ) decide a liderança do grupo F às 16h (de Brasília) contra as norte-americanas Emily Day e Jennifer Kessy, que também somam duas vitórias. Será o primeiro duelo entre as equipes. Larissa e Talita (PA/AL) encerram a fase de grupos na próxima terça-feira (30.06), contra as suíças Tanja Goricanec e Tanja Huberli. Após a estreia com vitória contra as donas da casa pelo grupo B, na tarde de ontem, as atuais campeãs brasileiras Larissa e Talita entraram em quadra determinadas a solidificar a classificação à próxima fase do Campeonato Mundial. E conseguiram ao vencerem as tailandesas Julaluk Radarong e Manerat Udomchavee por 2 sets a 0 (21/10, 21/18). O primeiro ponto foi brasileiro, com Talita bem no ataque, e logo nos primeiros minutos a parceria abriria larga vantagem, com 9/2. Quando a diferença no placar chegava a 16/5, uma leve garoa começou a cair na arena instalada na praça central de Amsterdam - nada, entretanto, que diminuísse o desempenho das brasileiras, assim como a animação da torcida, que vibrou com Talita, em uma largada com estilo, fechando o primeiro set em 21/10. As tailandesas vieram para o segundo set com a proposta de acelerar o jogo no meio de rede e a partida ganhou em emoção. Apesar da pressão asiática, o Brasil era melhor na virada de bola e se manteve na ponta, com 15/13. No mesmo embalo, Larissa e Talita alcançaram quatro match points, fechando o set em 21/18 e o jogo em 2 sets a 0. "Viemos forte para esse jogo, com muita pegada. Não conhecíamos o time adversário, então a estratégia foi traçada mais no estudo, observando outros jogos. A chave para a vitória foi nos preocuparmos mais com o nosso time, e deu muito certo", afirmou Talita. "O Mundial é um campeonato onde precisamos estar sempre muito concentradas e adquirindo um ritmo bom, porque é uma competição longa, diferente das etapas do Circuito Mundial, que costumam terminar em quatro dias. Então a gente precisa estar sempre focado e firme no nosso objetivo", completou Larissa. A segunda rodada do grupo G, colocou Linline Matauatu e Pata Miller Vanuatu, de Vanuatu, frente a frente com Juliana e Maria Elisa, que na estreia do grupo G haviam aplicado 21/7 e 21/0 sobre a Argélia. E novamente as brasileiras não deram chances, jogando concentradas e vencendo por 2 sets a 0 (21/16, 21/13). O jogo começou disputado, com as equipes trocando bolas e sem nenhum time deslanchar no placar. Apesar de mais fracas tecnicamente, as adversárias se mostravam ágeis e ligadas em todas as bolas. Aos poucos, as brasileiras foram minando o jogo do outro lado da rede, e abriram 15/9. Consistente no ataque, a parceria ampliou a diferença para 19/13, e fechou o primeiro set em 21/16. Juliana e Maria Elisa começaram bem o segundo set, com a carioca quebrando a recepção adversária para marcar 6/3. Bem no fundamento, a camisa número dois emplacou outra sequência de serviços para chegar a 11/6 no marcador. Na reta final da etapa o Brasil deslanchou. Com Juliana vibrante e puxando o público, o time alcançou 20/10, fechando o set em 21/13 em uma largada de Maria Elisa, e o jogo em 2 sets a 0. "A gente sabia que a dupla de Vanuatu viria com um volume de jogo alto e que teríamos que entrar forte na partida. Essa foi nossa proposta de jogo, nos preocupando em fazer a nossa parte, sem se preocupar com a virada de bolas delas. Acho que fomos felizes na estratégia e essa deve ser nossa postura ao longo de todo o campeonato", declarou Juliana após a partida. Sem tempo a perder, a dupla já projeta a partida desta segunda, contra as alemãs Laboureur e Sude, que vale o primeiro lugar do grupo G. "Vai ser um jogo difícil, da última vez que nos enfrentamos, acabamos derrotadas em um jogo que estava em nossas mãos (pela fase de grupos do Major Series de Porec, na Croácia, no início de junho). Tenho certeza que aquela derrota foi importante para que a gente não deixe a oportunidade escapar amanhã. Precisamos manter a tranquilidade para desenvolver nosso melhor vôlei", disse Maria Elisa. Na cidade de Apeldoorn, Ágatha e Bárbara Seixas não deram espaço para as mexicanas Bibiana Candelas e Claudia Rios, vencendo por 2 sets a 0 (21/12, 21/12). Desde os primeiros minutos as brasileiras mostraram que ditariam o ritmo do jogo, abrindo confortáveis 14/7 na altura do tempo técnico. A vantagem cresceu ainda mais na sequência do set, fechado em 21/12. Na etapa complementar, a paranaense e a carioca seguiram com o controle das ações, e concentradas fecharam o set novamente em 21/12. "A gente está muito feliz. Sabemos que é um jogo por dia e é difícil nos concentrarmos, pois nossos jogos estão sendo mais para o final da tarde, início da noite. Mas estamos com a cabeça muito boa, entrando com tudo nos jogos para chegarmos ao lugar mais alto do pódio. Na partida de amanhã não será diferente, enfrentaremos um time que ainda está em formação mas que a cada torneio vem mostrando um entrosamento maior (Kessy e Day, dos Estados Unidos), então a gente sabe que vai ser um jogo perigoso", projetou Bárbara Seixas. A última partida de brasileiras na Holanda foi uma estreia na cidade-sede de Haia - e ao melhor estilo verde e amarelo. Com tranquilidade e apresentando um voleibol muito consistente, Taiana e Fernanda Berti derrotaram Randy Williams e Palesa Sekonyana, da África do Sul. Bem em todos os fundamentos, a parceria fechou a primeira etapa em incríveis 21/5, após 12 pontos consecutivos. No segundo set, a dupla seguiu confortavelmente na frente do marcador até Taiana, em belo ataque, fechar o set em 21/12 e o jogo em 2 sets a 0. "O jogo foi bem tranquilo. Conseguimos imprimir um ritmo bom e sacamos muito bem no primeiro set. No segundo set elas forçaram mais o jogo, mas estávamos bem concentradas", disse Fernanda Berti, que teve analise parecida a da parceira Taiana. "Não demos chance para o azar. Não conhecíamos as adversárias, então entramos forte desde o início. Foi uma estreia positiva, com um bom volume de jogo e sem surpresas". Dentro de quadra, os principais atletas disputam o importante título e uma premiação de 1 milhão de dólares (60 mil aos vencedores, 45 mil para os segundos colocados e 35 mil dólares aos medalhistas de bronze) e 1000 pontos para a dupla no ranking do Circuito Mundial. Além disso, os países dos atletas campeões estarão automaticamente classificados para as Olimpíadas do Rio 2016. A vaga é da federação, e não do time campeão. O Campeonato Mundial não conta pontos na corrida olímpica brasileira, já que possui formato distinto das demais etapas e possibilita apenas quatro duplas do país em cada naipe. VEJA TODOS OS RESULTADOS DO TORNEIO MASCULINO VEJA A GALERIA DE FOTOS Read More
    Circuito Mundial
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1
  • 1

Seleção Masculina

Para fechar a conta

Liga Mundial 

Brasil encerra excursão no exterior com mais uma vitória

Mais uma vitória

Liga Mundial 

Brasil bate a Austrália e vence a sétima partida

Vôlei Praia

definições na holanda

Circuito Mundial 

Alison/Bruno garante liderança da chave; dois tropeços completam rodada

começa a disputa

Circuito Sub 23 

Qualificatório abre etapa de Vitória (ES) e oito times avançam

Seleção Feminina

três jogos

Grand Prix 

Jornalistas podem se credenciar para a etapa em SP até o dia 6 de julho

de volta

Grand Prix 

Aos 31 anos e há três temporadas no exterior, Joycinha sonha com Jogos Olímpicos do Rio

Vôlei Quadra

Para fechar a conta

Liga Mundial 

Brasil encerra excursão no exterior com mais uma vitória

Mais uma vitória

Liga Mundial 

Brasil bate a Austrália e vence a sétima partida


COMPETIÇÕES QUADRA

  •  SUPERLIGA CBS   SUPERLIGA B   COPA BB    MASTER  
  • Superliga
  • Superliga
  • CBS
  • COPA BRASIL
  • Vôlei Master



COMPETIÇÕES PRAIA

  • CBBVP - Open
  • CBBVP - Open
  • CBBVP - Open
  • CBBVP - Open
  • Vôlei Master